Otimização da infraestrutura de aplicações: valorize seus ativos de TI!

Quando a empresa é pequena dificilmente pensamos em otimização da infraestrutura de aplicações ou até mesmo em um controle de ativos, mas conforme o negócio cresce, a demanda em serviços de TI cresce junto.

No primeiro grande problema técnico é possível perceber que a TI inteira é mobilizada para apagar o incêndio enquanto o negócio fica parado. Um bom dinheiro é perdido a cada evento desses, mas isso pode ser evitado quando implementamos a Gestão de Ativos de TI de forma sistêmica.

A metodologia mais utilizada mundialmente é a ITIL (Information Technology Infrastructure Library) responsável pelo desenho, implementação e gerenciamento de processos internos da área de TI. Com base nela é possível realizar a fabricação de software que contemple as funcionalidades ou adquirir algumas plataformas prontas no mercado. A metodologia é bastante extensa, então vamos destacar aqui somente os processos mais importantes.

Gerenciamento de Configuração

Responsável pela criação da base de dados de gerenciamento de configuração (CMDB), formada por todos os detalhes dos Itens de Configuração (CIs) utilizados para o aprovisionamento e o gerenciamento dos serviços de TI. Um item de configuração é um componente que faz parte ou está diretamente relacionado com a infraestrutura de TI, podendo ser físico (hardwares) ou lógico (softwares).

Gerenciamento de Serviços

Visa alocar adequadamente os recursos disponíveis e gerenciá-los de forma integrada, fazendo com que a qualidade do conjunto seja percebida por seus clientes e usuários, evitando-se a ocorrência de problemas na entrega e na operação dos serviços.

Gerenciamento da Capacidade

Responsável pela disponibilização no tempo certo, no volume adequado e no custo apropriado dos recursos de infraestrutura necessários ao atendimento do negócio em termos de serviços de TI, garantindo que os recursos disponíveis sejam utilizados da forma mais eficiente possível.

Gerenciamento de relacionamento

Responsável pelo acompanhamento de todo o histórico de interações do cliente e o consequente suporte para a tomada de decisão. O processo de tomada de decisão deve alinhar a melhor possibilidade de solução de problemas com as estratégias da organização, visando aprimoramento constante na eficiência e eficácia empresariais.

Gerenciamento do Nível de Serviço

O processo de Gerenciamento do Nível de Serviço é responsável por assegurar que os serviços de TI, dentro dos níveis de serviços acordados, serão entregues de acordo com o que os usuários definiram.

Gerenciamento da Segurança

A segurança da informação deve suportar também a segurança do negócio e por isso o processo precisa garantir que a confidencialidade, integridade e disponibilidade dos ativos, informações, dados e serviços de TI da organização sejam contemplados.

Esses processos, junto a um desenvolvimento de software adequado à gestão de ativos de TI, irão permitir apoio e uma excelente velocidade na tomada de decisões, a previsão de necessidades futuras e a antecipação de problemas, a diminuição dos riscos, melhores práticas de governança e aumento da produtividade e agilidade, tanto da área de TI quanto do quadro de funcionários.

Uma excelente área de TI, seja ela interna ou externa, é vista pela empresa como um investimento que permite trazer agilidade, eficiência, proatividade e produtividade. E essa postura, é claro, reflete na imagem e na credibilidade passada ao cliente.

Atualmente nenhuma empresa questiona mais a importância da TI em qualquer negócio, mesmo que não seja o seu core business. Para uma melhor otimização da infraestrutura de aplicações é recomendável que sejam contratadas empresas especialistas na área.

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e assine nossa newsletter!