Principais erros da implantação de RFID

Principais erros da implantação de RFID

Principais erros da implantação de RFID

O sistema de reconhecimento via radiofrequência (RFID) possui diversas funções, que vão desde a segurança até o gerenciamento e controle de estoque de uma empresa. Mas, para não cometer erros na hora de implementar a tecnologia é preciso tomar alguns cuidados.

Além de atentar para questões óbvias, como o custo de implementação, as potenciais fornecedoras e o software que fará a gestão dos dados, também é preciso prestar atenção a outros fatores fundamentais para o sucesso da sua iniciativa.

Quer entender melhor? Então continue lendo!

Não preparar gestores e colaboradores

Toda nova tecnologia é passível de barreiras na hora de sua implementação. Isso porque a mudança assusta as pessoas e, para que elas consigam aproveitar totalmente o potencial da novidade é preciso investir tempo e recursos em treinamento e informação.

É preciso definir muito bem as responsabilidades, explicar para os gestores quais os benefícios da nova solução e, principalmente, determinar um suporte para eventuais problemas. Outra questão é configurar precisamente a potência do leitor para não contabilizar mais do que um setor por vez, o que nos leva ao outro erro:

Não calcular precisamente as distâncias

Apesar de a radiofrequência solucionar diversos problemas, como a diminuição no controle de muitos volumes simultaneamente, também é preciso tomar cuidado nas configurações de distâncias. Isso porque os leitores podem acabar lendo etiquetas de outros setores e causar um problema gerencial.  

Por isso, o melhor é contar com uma empresa especializada que vai montar todo um planejamento e evitar possíveis erros. Além disso, também é vital planejar quais os principais objetivos da implementação do sistema, para que as prioridades fiquem mais claras.

Determinar várias funções para as etiquetas

Como falamos no início do texto, as etiquetas RFID possuem diversas finalidades. Controle de estoque, monitoramento de cargas e segurança (ao evitar, por exemplo, que volumes sejam furtados) são apenas alguns deles. Mas, um erro muito comum é determinar diferentes objetivos para o mesmo sistema.

O principal problema aqui é a grande variedade de etiquetas disponíveis. Enquanto as mais simples e baratas têm como foco o controle de ativos imobilizados, outras mais complexas (e caras) são utilizadas para a segurança. Elas são mais custosas justamente por oferecer mais segurança e cumprir melhor o objetivo proposto.

Por isso, lembre-se sempre que planejar e determinar os objetivos do sistema antes mesmo de fazer orçamentos ou abrir concorrência. O investimento e a qualidade do serviço mudarão completamente com base nessas decisões estratégicas.

Não colocar outras identificações nas etiquetas

Esse é, talvez, o erro mais comum na implementação do sistema RFID. Quando uma empresa adota a tecnologia é preciso entender que ela pode apresentar problemas passíveis de conferência. E, como você poderá conferir os volumes se as etiquetas não possuem outras identificações?

Por exemplo, você entra no estoque e o sistema aponta 10 caixas, mas você conta rapidamente e vê que há 12 volumes. Ou seja, dois deles não foram contabilizados. Se a suas etiquetas não possuem código de barras ou número de série será muito complicado entender como o erro aconteceu.

Por isso, evite problemas e adote mais de uma forma de conferência. Pensar nisso na fase de planejamento é fundamental para não acarretar em problemas futuros.

Você ainda tem alguma dúvida sobre o sistema RFID que não respondemos aqui? Entre em contato conosco e faça todas as perguntas sem compromisso!