Processos automatizados de segurança: como e por que implementar na sua empresa?

Processos automatizados de segurança: como e por que implementar na empresa?

Processos automatizados de segurança: como e por que implementar na sua empresa?

Se você leu nosso post automação da segurança: sua empresa está preparada?, já deve ter entendido que sua empresa já está exposta a riscos e incidentes. Além disso, vimos algumas considerações sobre a necessidade de dar uma resposta rápida aos incidentes e como a processos automatizados de segurança podem ajudar-lhes a escalar o seu negócio.

Pois bem, chegou a hora de detalhar um pouco mais o assunto e passar para à parte prática. Quais serão as etapas necessárias para implementar soluções de segurança e entender melhor por que automatizar a segurança da sua empresa? Avaliações, inventários e outras ações fazem parte do processo. Seguimos?

Etapas dos processos automatizados de segurança

Os ataques já não são mais os mesmos: os incidentes estão mais focados, intensos e orientados a informações. Logo, organizações que continuam aplicando medidas de segurança online tradicionais, que buscam identificar ataques tradicionais (descobertos por falhas no sistema ou alterações no funcionamento), não têm como responder aos novos e avançados ataques.

Por outro lado, ainda que as empresas estejam ampliando seus orçamentos em processos automatizados de segurança, nem sempre os esforços são feitos onde deveriam. Quais são as áreas mais críticas para a segurança? Onde a companhia tem potencial para sofrer mais ataques? Sem planejamento e organização, sua companhia pode estar vigiando a porta errada.

Por isso, antes mesmo de começar a executar ações e planejar estratégias, é preciso cumprir algumas etapas que permitem ter os conhecimentos necessários para decidir com inteligência:

1. Avaliação de Riscos

Faça uma avaliação de riscos que analise absolutamente todos os departamentos, processos e ambientes de risco. Isso garante que os sistemas e respectivos riscos de segurança online sejam identificados e incluídos na estratégia de criação de processos automatizados de segurança;

2. Inventário do ambiente de produção

É importante realizar um inventário de todas as ferramentas de monitoramento e manutenção de dados críticos existentes. Além disso, considere criar um listado de aplicativos usados pela sua empresa, servidores, redes, usuários e acessos;

3. Levantamento de Habilidades

Em relação ao pessoal, internos ou colaboradores externos, vale a pena identificar as habilidades de cada um e como os recursos humanos existentes podem ser usados para minimizar riscos. Faça um levantamento de skills: certificados, conhecimentos específicos como desenvolvimento de códigos e fornecedores especializados em segurança online.

Naturalmente, nem todos os processos podem ser feitos de forma automática. Neste sentido, durante os inventários, a análise já permite que sejam identificados os gargalos de segurança, ou seja, procedimentos e rotinas que não são feitos de forma correta exatamente pela falta de mão de obra qualificada ou soluções de processos automatizados de segurança.

De fato, a inteligência aplicada à segurança online tem muito a ver com a automação, sempre que consigamos equilibrar dois fatores: as necessidades reais de segurança baseada em riscos potenciais e ocorrências anteriores. Considere o fato de que toda a segurança de uma organização está relacionada com alinhar esforços no sentido de proteger os recursos mais valiosos.

Esperamos ter fornecido mais informações úteis sobre porque automatizar a segurança da sua empresa. Caso você tenha qualquer dúvida e necessite de mais orientações neste sentido, não deixe conhecer nossas soluções de segurança e entrar em contato conosco. Até o próximo artigo!