Quem são os responsáveis pelo software de segurança de uma companhia?

Quem são os responsáveis pelos softwares de segurança de uma companhia?

Quem são os responsáveis pelo software de segurança de uma companhia?

Graças às evoluções tecnológicas e ao barateamento de processos o desenvolvimento de softwares próprios deixou de ser uma exclusividade das grandes empresas. Atualmente companhias de menor porte podem criar soluções próprias para seus clientes, funcionários e demais públicos.

Mas, nesse contexto, muitas vezes a segurança do software é deixada de lado em função da necessidade de agilidade e flexibilidade dos projetos. Afinal, a cada nova versão do programa há um custo para testar, revisar códigos e averiguar se existem brechas que podem ser exploradas por hackers.

Nesse sentido, quem são os responsáveis por esse trabalho? Continue lendo para entender!

Uma preocupação global

A segurança de softwares é uma preocupação global que cresce exponencialmente a cada ano. Quando até mesmo os governos de países como Espanha, Reino Unido e Brasil sofrem ataques é preciso refletir sobre a importância da segurança dos dados de sua empresa.

Um estudo da empresa de consultoria Pricewaterhouse Coopers (PWC) apontou que os investimentos das empresas em Segurança da Informação teve um salto de mais de 50% nos últimos anos. Isso prova como é fundamental que a sua empresa esteja preparada para não sofrer prejuízos.

Como a empresa é afetada em caso de um ataque?

Existem diferentes formas de uma empresa sofrer prejuízos em um ataque cibernético. Um simples ramsomware pode roubar informações sigilosas, como dados bancários dos clientes e exigir um valor altíssimo para não divulgá-las na internet.

Além de causar um prejuízo financeiro, ser vítima de um ataque pode colocar toda a credibilidade da empresa em cheque. Imagine, por exemplo, um e-commerce que investiu no desenvolvimento de software próprio e teve todos os dados sigilosos de seus clientes divulgados! Naturalmente as pessoas teriam muito medo de voltar a comprar ali e o prejuízo seria enorme!

Afinal, e quem é o responsável?

Quando falamos em segurança da informação é normal pensar no time de TI. Mas, a verdade é que todos os funcionários são responsáveis pela rede da empresa e, por isso, é fundamental realizar treinamentos e produzir conteúdos para conscientizá-los da importância de respeitar as melhores práticas de segurança na web.

Atitudes como o download de sites suspeitos, uso incorreto de streaming de vídeos, utilização da rede segura da empresa em dispositivos móveis e o compartilhamento de senhas entre os funcionários podem ser fatores agravantes, que oferecem brechas para pessoas mal-intencionadas.

E como resolver isso?

Há uma frase famosa no mundo dos negócios que diz que “a necessidade de punição é inversamente proporcional à educação”. Ou seja, enquanto você não investir em treinamento e educação dos seus colaboradores será preciso limitar os acessos à rede.

Para definir os melhores caminhos é fundamental criar uma política de segurança de rede, a fim de documentar os limites de cada acesso, as responsabilidades e, também, como agir caso haja alguma ocorrência negativa como uma invasão ou ataque.

Conte com o auxílio de uma empresa especializada em segurança para criar esse documento e orientar a sua equipe antes que o pior aconteça. Prevenir definitivamente é a melhor maneira de remediar. Agora, caso seu software de segurança já tenha sido atacado, acione um especialista imediatamente.

Cada segundo é importante para diminuir os prejuízos causados e lidar da melhor maneira possível com o problema! No investimento em um software de segurança deve conter, também, uma previsão para esse tipo de situação.

Quer receber novidades do segmento direto em sua caixa de entrada? Então assine agora a nossa newsletter!