Segurança pessoal em espaços públicos: tudo o que você precisa saber

Segurança pessoal

Segurança pessoal em espaços públicos: tudo o que você precisa saber

O aumento da violência e a insegurança estão entre as maiores preocupações dos brasileiros para o futuro, como revelam dados do Instituto Paraná. Nesse contexto, dar atenção à medidas de segurança pessoal é uma escolha comum e de extrema importância.

Por isso, muitas pessoas se interessam em colher informações que ajudem a garantir a própria proteção em espaços públicos. E isso vale tanto para o próprio comportamento quanto para as ações alheias. Continue a leitura e saiba mais!

 

Contra o que você precisa se proteger

Uma vez preparado para seguir medidas protetivas básicas, você também se condiciona a evitar riscos mais graves. Com isso em mente, vale saber quais são as situações mais comuns em espaços públicos:

  • Furto de pertences — a ação que acontece sem que haja contato com a vítima. Em espaços públicos, é uma situação que tende a acontecer em decorrência da desatenção ou do descuido das pessoas.Por exemplo, deixar algum pertence de valor (smartphone, carteira, chaves de automóveis) sobre a mesa, favorecendo a ação de um agente mal-intencionado.
  • Roubo — a diferença entre furto e roubo é que, nesse segundo caso, há contato com a vítima associado à ameaças e violência. É o que remete ao temido assalto à mão armada que acontece, sobretudo, em vias públicas.
  • Sequestros — sequestros relâmpago são aqueles de curta duração que, geralmente, acontecem com o objetivo de fazer com que a vítima saque dinheiro ou faça transações bancárias para os criminosos.

Já o sequestro com veículo acontece para a obtenção do automóvel e consequente abandono do condutor, visando dificultar qualquer ação de recuperação de seu bem (como chamar a polícia em tempo hábil para evitar a fuga dos criminosos).

 

Como se proteger dessas ameaças

A ideia da segurança pessoal é adotar medidas que tornem mais difícil a ação dos bandidos. Em outras palavras, seguir condutas que fazem com que você não seja visto por eles como um alvo fácil.

Atenção às próprias ações

Ter cuidado com os seus pertences e não deixá-los sem vigilância é crucial para evitar furtos em locais públicos. O mesmo vale para conferir o fechamento de bolsas e mochilas e colocá-las à frente do corpo em locais movimentados ou em aglomerações.

Evitar atrair a atenção para si e despertar o interesse dos bandidos também é necessário. Para tanto, vale seguir regras como: usar caixas eletrônicos apenas em locais seguros; manter as portas do carro travadas e os vidros fechados em locais de risco; evitar adesivos que deem informações sobre você (filhos à bordo, academia que frequenta, etc).

Avaliação do comportamento alheio

A observação permite identificar olhares e movimentações suspeitas que podem indicar a intenção de uma ação criminosa. Essa vigilância permite que você desvie o caminho e mantenha distância de quem lhe pareça uma ameaça.

A ideia também se aplica no trânsito, seja para avaliar o comportamento de pedestres que se aproximam do carro ou de outros veículos. É o caso daquela sensação de que o carro detrás está seguindo você e pode ser prudente mudar a rota ou parar em um posto para evitar o risco, por exemplo.

 

A importância das ações de proteção

O melhor momento para evitar ou escapar do bandido é antes que sua ação direta inicie. Em contrapartida, o pior momento para lidar com o problema é quando o bandido já está agindo. A reação das vítimas de forma diferente da esperada (tentativa de negociação ou fuga) pode intensificar a violência e agravar a situação.

Por isso, as dicas aqui apresentadas, em especial a sua vigilância atenta, são importantes para fazer com que você escape de situações de risco em locais públicos.

Gostou do post? Assine nossa newsletter e receba mais dicas para aumentar a sua segurança!

Ebook grátis – clique e baixe o seu.